segunda-feira, 23 de maio de 2011

revista o globo

Escrevi essa crônica para revista do Globo há tempos, mas até hoje me param na rua para comentá-la. como ando sumida por aqui resolvi reproduzi-la. Bjs

Eu fiquei gravemente doente. Ao contrário do que muitos fantasiam, não tirei de letra. Não sei o porquê, mas existe uma idéia estapafúrdia de que quem está com câncer tem que, pelo menos parecer herói. Nãnanina não! Quem recebe uma notícia dessas não consegue ter pensamentos belos. Bem... eu não conseguia. A cobrança de positividade acabou se tornando um problema. Me olhava no espelho branca, magrela e de cabelos curtinhos (antes de caírem) e me achava pronta para fazer figuração na Lista de Shindler. Achava que não tinha chance de sobreviver à cirurgia, só pessoas que não tinham maus pensamentos sobreviviam. Muitas vezes deixei de comprar coisas para mim porque tinha que deixar tudo para minha filha. Bem, se na minha cabeça era esse o pensamento que reinava ... Sem chance.
O mundo moderno é incrível. Tudo é maravilhoso, não existe sofrimento! As separações são sempre amigáveis e sem lágrimas, as mães não tem mais o direito de embarangar e ficar em casa lambendo a cria. Um mês depois estão lindas, magras, com barriga sarada! Os atores não ficam desempregados, estão sempre felizes com um convite que ainda não pode ser revelado! Quimioterapia é moleza! Vem cá, só eu que não moro na Disney?
Hoje percebo que precisei viver esse luto. Ele passou, apesar do medo fui confiante para o hospital. Mas outras angústias vieram. Sofri pelo que é “o de menos”, chorei pelos cabelos, pelas sobrancelhas, pelos cílios e pelo ... resto que vocês sabem. Chorei pelas dores , enjôos, injeções e tudo mais. Eu me dei esse direito. Eu me dei o direito de ser humana. A Mulher Maravilha mora na televisão, eu moro na Gávea mesmo. A Mulher Maravilha dá aquela giro e sai linda e poderosa correndo para salvar pessoas. Se eu fizesse a mesma coisa cairia estabacada com a careca no chão. Então meu giro foi bem devagarzinho segurando na mão de minha mãe, de minha irmã e de meus queridos amigos e familiares. Girei amparada por dr Eduardo Bandeira, por Virginia Portas, dr Celso Portela e todos enfermeiros e profissionais de medicina que foram simplesmente maravilhosos comigo. Girei rindo e chorando com centenas de comentários no meu blog onde eu virei praticamente uma conselheira oncológica. Girei brincando com minha filha que fez questão de ir para escola de lenço na cabeça “igual a mamãe porque é muito legal”. Girei para salvar a mim mesma.
Sinceramente, não acredito em uma seleção divina. Muitas pessoas bacanas e crianças morrem e isso não é nem um pouquinho justo. Acho um saco quando dizem “ Fulano perdeu a batalha contra o câncer” , “Fulana tem tanta vontade e alegria de viver que foi salva”ou “ O amor por meus filhos me salvou”. Me parece tremendamente injusto. Quer dizer que quem morre não amava a vida? O amor pelos filhos não era grande o suficiente? A fé foi pouca? Pensamento bem cruel, não é mesmo? E é uma coisa bem esquisita, isso só acontece com o câncer, a única doença tão estigmatizada. Ninguém diz que alguém perdeu a batalha para o enfarte, nem que amava tanto a vida que ficou bom da tuberculose.
Re-mis-são. Estou em remissão. Quem não apresenta mais sinais da doença pelo corpo não pode sair correndo gritando que está curada, então saio correndo e gritando que estou em remissão!!! Eba! Remissão é muito bom!!
Vi uma foto minha na internet com meus companheiros de Subversões Aloísio e Salem em que estou com um largo sorriso. Eu estava verdadeiramente feliz. Sem a pílula da felicidade, sem fingir meus sentimentos, sem bancar a maravilhosa. Era eu simplesmente feliz.
E agora ... chega desse assunto! Eu sou atriz e tô mais preocupada com o um convite que não pode ser revelado.

86 comentários:

  1. "Virei praticamente uma conselheira oncológica".
    Você é única.
    E não é que virou mesmo...
    Ouvi muito comentário seu em roda de quimio.
    Passou, passou.
    Muita Saúde e Luz em seu caminho.
    bjs.
    wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Estava com saudade...
    Bjão!!!

    ResponderExcluir
  3. ola Marcia
    Me perdoe talvez pelo tom melancolico da minha mensagem, mas eh que hoje nao eh um dia relativamente "facil" para mim.Tenho 36 anos, sou casada, tenhos dois filhos lindos, um casal: um menino de 9 e uma menina de 5. Em uma semana estava no consultorio da minha ginecologista para exames de rotina na minha cidade e hj estou em jejum prestes a entrar em cirurgia para retirada de dois tumores ovarianos, um do intestino e varios do tal do peritoninio em SP. Enfim so gostaria de te dizer que no meio disso tudo, descobri seu blog, e no meio de tanta depressao dos blogs normais, achei o seu tao sincero e verdadeiro!!! Sabia que vc tinha ficado doente mas nao sabia do que ate que "googlei" vc e descobri nossas coincidencias. Como vc diz , o de ovario nao eh tao normal ne? Talvez por ja ter passado pelo pior vc nem queira ficar comentando mais isso, mas saiba que sua experiencia descrita no seu blog, vai me ajudar muito. Desculpe estou insone e morrendo de medo!!! Quero minha vida de volta!!! Clichezao, sempre gostei de vc,agora te admiro muito mais!!! beijos e nao deixe por favor de escrever, ok?
    Patricia

    ResponderExcluir
  4. Sumida mesmo! Tá com raiva da gente é?!! Marcia interessante comO fico feliz em saber que outros pacientes estão sentindo essa mesma felicidade. Queria tanto que fosse com todos...
    Não existe seleção divina. As coisas acontecem, pra isso nos foi dado por Deus, o livre arbítrio. Voce só colhe o que planta. Pare para pensar. O stress diário em que vivemos, as porcarias que comemos, as bebídas que bebemos, o ar que respiramos... Bolas, eu acredito numa relação direta de causa e efeito. Agora, de minha parte, sou infinitamente grato à Deus. Pois tenho a firme convicção de que, nos piores momentos da doença, só tinha duas pegadas nas areias da praia de minha vida. E as pegadas eram Dele, me carregando. Forte abraço. sanguevalente.blogspot.com
    ps: lembra da menina carina, aqui de sc que no fim do ano passado estava precisando do nexavar, e eu usei teu blog para pedir ajuda à ela? Conseguimos por outros meios e ela está ótima.De toda forma, sou grato pela postagem que vc publicou à época.

    ResponderExcluir
  5. Oiii!!!
    Estavas com saudades de ver você por aqui sumida. Bem não tão sumida porque ultimamente estão saindo várias notinhas de você do jeito que eu gosto, RSRSRSRS!!!!
    Eu amooo essa coluna sua no jornal O Globo e também dizer que você está arrasando na IstoÉ Independente com suas colunas cada vez mais criativas.
    Volte logo pra tevê e faça uma visita aos seus conterrâneos de Niterói, incluindo a mim, RSRSRS!!!!
    Um beijão pra você e pra Manu =D
    Da sua fã que te ama muito!!!!
    Karine

    ResponderExcluir
  6. Márcia
    Gostei muito de seu texto, vivi tudo isso como vc, é difícil para as pessoas que não tiveram essa doença entenderem. Sua fala ajuda a tirar o estigma do câncer. Vou postar seu texto em meu blog, colocando seu blog e sua autoria tá? Um abraço e vamos em frente, pois como vc tb estou em remissiva! Bjssssssss

    ResponderExcluir
  7. Ola marcia, suas palavras sao sabias, realistas...e concordo plenamente com este texto....o medo existe, e real, e somente quem passa pelo que passou, quimio, cirurgia e o proprio choque da noticia..e realmente esta postura de mulher maravilha nao combina com as pessoas que estao passando por tudo isso. Um grande beijinho carregado de energias positivas do outro lado do oceano de uma brasileira super fa da atriz, mas accima de tudo super fa da mulher blogueira Marcia!!!

    ResponderExcluir
  8. Marcia, é curioso e divino como nos aproximamos das pessoas , sem ao menos conhecê-las pesssoalmente. O Câncer nos torna ainda mais reflexivos e relaistas , também otimistas. Ler o q vc escreve é tão pertinente q parece que as palavras saem do nossos coração . Impressionante como sentimos temos os mesmos pensamentos. Ninguém senão uma pessoa que passou pela doença sabe ou entende . Tenho 37 anos e um casal de filhos lindos. quando olho ou penso neles não tem como nao sofrer e implorar a Deus para me deixar criá-los. Os cabelos , os cílios, os pelos crescem , os enjoos passam mas, o peito que mefoi arrancado me deixando mutilada não cresce mais. Contudo dou Graças a Deus por entender permitir que minha vida seja preservada. Bom mesmo é Viver. Tenho vontade de falar, falar , falr sem parar mas não consigo e por isso essa forma de desabafar , através de um blog é tão interessante . A gente pode escrever o q vem na nossa cabeça sem filtar nada e ainda manda umns recadinhos para aquelas pessoas que passam a nos ver como pessoas marcadas para morrer, o q é uma grande ignorância , pois a nossa vida está recomeçando. Gosto muito do jeito q vc se escreve me identifico muito. Beijo grande no coração. Nme visite no meu Blog: www.quemmeamasetoca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Minha mãe teve câncer alguns anos atrás, mas teve sorte. Descobriu quando estava bem no início e, por sorte, se é que isso é sorte, foi um câncer bem externo, fácil de ser extraído. Ela perdeu um dos seios.

    Eu bem que tentei minimizar, pois ela já é uma senhora de quase 70 anos, e não está exatamente interessada em ser linda. Mas, mesmo assim, os seios são um símbolo muito forte da femilinidade, então não fiquei nem um pouco surpreso quando alguns meses mais tarde minha mãe fez uma plástica de reconstrução. Ela fez uma dessas cirurgias sem necessecidade de implante de silicone. Como ela sempre foi uma pessoa magra e ativa, ela teve a opção de fazer uma reconstituição fazendo a transposição de um músculo do peito. Não entendo muito mais que isso, mas ela ficou feliz com o resultado.

    O que ficou foi a consciência de que o sobrevivente de câncer tem q adotar a mentalidade de um guerreiro: estar sempre alerta e vigilante, constantemente fazer exames, ir ao médico, se exercitar, fazer dieta e nunca perder a vontade de viver.

    Espero q continue viva e bem por muitos anos. Adorava você no "Sai de Baixo", te achava engracadíssima e, mil perdões Marisa Orth, mas pra mim a gata do show era vc.

    Felicidades,
    Fabio Milan

    ResponderExcluir
  10. Olá Lindona, que bom q reapareceu por aqui, sei que esse blog foi feito por vc numa época nada legal, mas não nos abandone pq muita gente aqui precisa da sua força, das suas palavras e do seu carinho!
    Beijo enorme, pra vc e pra Manu, fica com Deus!
    Saudades, Drika ;)

    ResponderExcluir
  11. Olá, não nos conhecemos, fiquei sabendo do seu blogger por um amigão meu, "Rodrigo Pacheco". Não tenho câncer, mas também recebi uma noticia a um ano de problemas renais, que me submetem a quimeoterapia também, pois não é um calculo renal, uma pedrinha, mas uma doença "rara", tudo que vc escreveu, era como se EU estivesse escrevendo/falando...

    Pessoas dizendo pra ter fé, que a cura está na fé, no amor, nas ervas milagrosas, pessoas que não se tocam que irritam a gente, mesmo que sem querer, ao invéz de dizer um simples "eu te amo". Tudo que vc disse é o que Eu repito todos os dias pra mim mesma em silencio!

    Eu tenho 20 anos, e me mantenho sorrindo e alegre, prometi não perder meu sorriso, já que todos dizem que era minha marca registrada. Mas perder os cabelos, olhar as fotos deixam a gente triste, acabam com a gente, foi mesmo uma sessão pancadaria receber a noticia, as dores, as injeções, a porrada de remedio que tomo, tudo é complicado e as pessoas acham que devemos estar sempre bem e pensar positivo. Até concordo! Pensamento positivo atrai coisas positivas! Mas não somos de ferro, e mais.. Não foram essas pessoas que receberam o "back", talvez elas não tivessem tanta força qnto nós!

    Adorei seu blogger, me vi muito nele, embora nossas doenças seja diferente, tratamento é o mesmo. Desejo a vc tudo de melhor a cada dia e vou continuar entrando e lendo. Beijos!

    e-mail: aryellen@globo.com

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Ola Marcia gostei de sua postagem, so nao concordo com algumas coias que vc disse, sabe eu passei pelo mesmo problema que vc , cirurgia depois quimioterapia, meus cabelos cairam caiu todos os peloskkkk e eu curti tudo isso com resiguinação, amei minha careca esei que a quimioterapia e sofrida sim mas eu nao sofri conversava com meus pes que queimava eu dizia que eu amava eles e que isso passava ainda as vezes sinto queimar mas sou feliz , feliz sim pq eu amo meu corpo que superou tudo . querida nos devemos ser feliz temos o direito nos dar felicidade nos amando e curtindo cada minuto de nossa vida sempre amando a Deus abraços de uma fã que te ama bjs no seu coração, e que deus a abencoe .

    ResponderExcluir
  14. Ô menina, quando eu comecei a ler seu blog, vc sumiu. Adorei ler tudo que vc escreveu, vc é ótima escritora! Me ajudou muito a aceitar tudo o que verdadeiramente eu estava sentindo a respeito do câncer e do tratamento.
    Meu blog:
    http://luciana-noistrupica.blogspot.com/
    Beijos. Sucesso!
    Luciana

    ResponderExcluir
  15. ola Marcia
    meu nome eh Renata e a 1 ano luto contra um cancer de pancreas
    to vencendo
    criei um blog pra ajudar quem passa pelas mesmas coisas q eu
    gostaria q desse uma ohada. obrigada
    http://renataleal2011.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Olá !!
    Simplesmente, magnificamente humano seu texto. AMEI !!
    O fingimento do mundo moderno nos leva a abismos solitários... Somos frágeis sim, precisamos de amor sim, precisamos nos sentir amados sim, precisamos nos sentir valorizados...
    Já te sigo... e tarde...
    Um super beijo no coração.

    ResponderExcluir
  17. Márcia!!!! Você é a DISNEY!!Você me fez sentir a emoção da montanha russa com sua entrevista no JÔ. Aplausos!!!! Faça um monólogo...O tema é indédito!

    Mais Graças!

    ResponderExcluir
  18. Viva Márcia!!!
    Acabei de ver vc no Jô. Como vc tá linda!!! Sou voluntário na AMUCC (www.amucc.com.br).
    Será que posso usar tua crônica, no site?
    Grande Beijo

    ResponderExcluir
  19. Olá!Marcia estou aqui digitando e ouvindo sua entrevista no Jô,vc é 10,adoro seu trabalho,vim compartilhar que estou numa Campanha para ajudar o Jean Pierre Lutero um jovem que mora em Santa Catarina,não está respondendo ao tratamento de Qts,precisa de um doador de medula óssea com urgência,existe um vídeo no youtube,estamos divulgando que precisa ser visto 10,100,1.000 vezes até conseguir 1 000 000 de exibições para conseguir alcançar a mídia http://www.youtube.com/watch?v=9vGZY4QipBo
    Na verdade ficaremos gratos se você apoiar a nossa campanha,se conhecer alguém nos ajude,não queremos perder o Jean,ontem perdemos uma criança de 10 anos por descaso das autoridades,aguardava um leito de hospital,isso depois de ter conseguido um doador.Deixo aqui um pedido aos sseus amigos que visitam seu blog,nos ajude,estou deixando o link onde a pessoa fica sabendo o endereço para se cadastrar como doador de medula óssea
    www.ameo.org.br clicar em Doaçoes de Medula que abre uma janela onde se encontar os endereços das cidades do Brasil.

    ResponderExcluir
  20. Adorei a sua franquezae o modo comico que você trata deste assunto que é tabo na nossa sociedade.

    Eu perdi minha mãe més passado para o câncer de pâncreas, e sei wue minha mãe amava vida e a mim, realmente não merecia morrer, mas aconteceu assim como pode acontecer com qualquer um de nós. Tenho a sorte de contar com a minha familia unida, pois minha mãe morreu cedo e ainda era muito dependente dela.
    desabafei rsrs

    beijos e espero que você continue com muita saúde.

    ResponderExcluir
  21. =) Acabei de te ver no Jô! Parabens, a entrevista foi excelente! Adorei seus textos e a forma que vc encarou o câncer. Espero que vc conte isso desta forma descontraída no teatro, na tv e etc. As pessoas precisam desta sinceridade, deste riso se estiverem passando por momentos assim. Espero que muitos trabalhos apareçam pois você tem muito talento!!! Assisto sempre no canal Viva o "Sai debaixo" :) Paz, saúde e muito sucesso!!! Bjs Angelica - Sp

    ResponderExcluir
  22. Muito legal seu texto, vc devia fazer um monólogo sobre esse tipo de assunto mesmo, no estilo George Carlin, se não conhece procure no youtube.

    Ah, vc ta muito gata de cabelo curtinho!!!

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  23. Ameiiiiiiiiiiiii sua enrevista hj no Jô, acompanho esse blog desde os primeiros posts e hj mais do que nunca pude rir junto com vc das coisas q passou e q vc havia comentado aqui...
    Lindona, amei seu cabelo curto, ta gata bagarai e outra coisa... Isso aqui tem que render frutos agora, se não quiser fazer um monólogo, pública em forma de crônica, vc é UM ESPETACÚLO MESMO !!!

    Beijo enorme pra vc e pra Manu, da sua fã, Drika ;)

    ResponderExcluir
  24. Vi sua entrevista no Jô, agora pouco...
    Corri e acabei de ler todo o seu blog...
    Todas as angustias, piadas, todos os desabafos e conselhos. Toda a verdade que vc gentilmente compartilhou.
    Achei muito lindo.
    Sem bancar a Ana Maria, a Hebe... sem ser a super famosa que virou heroína, ícone da TV pq superou um cancer.. Não.. vc foi a moça com cancer, de quem eu tive pena, de quem me orgulhei... vc foi real, e pessoas reais são muito mais interessantes.
    Até Deus diz q procura OS VERDADEIROS...

    Sou seu fã! E vou arrumar um jeito de te ver no Teatro.. Não pelo seu cancer... Mas pq morro de rir com seu talento inegável pro humor.
    Bjo grande.

    ResponderExcluir
  25. Oi Marcia,

    Acabei de ler todo o seu blog por conta do Twitter e já estou morrendo de curiosidade de ver sua entrevista no Jô!

    Parabéns pela força!

    Muita paz e saúde para você!

    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Lindo texto, Márcia. Muito humano!

    Me fez lembrar do Poema em Linha Reta do Álvaro de Campos:
    "Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
    Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo."

    Fico contente que você esteja bem e feliz!

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. Marcia,
    vi sua enrevista no Jô, show de bola.
    Tem um mes que recebi esta noticia descobri um cancer colo-retal.
    To na fase de ir ao hospital direto. O médico do INCA ja falou que terei que fazer radio e quimio.
    Mes amigos e familiares estão o tempo todo do meu lado. Mas, tem horas que eu quero ficar sozinho. Doi pra caramba. Só eu sei a dor que sinto. Não e só fisica. eles não entendem. Desde ontem desliguei o telefone de casa e celular. Minha cabeça não aguenta mais. Vc vai ficar bom. eu acredito que vou. Mas, preciso de um tempo pra mim. Eles acham que tem que falar comigo o tempo todo para saber o que estou sentindo. Se eu falar tudo que estou sentindo, terei que ir ao enterro de todos, eles vão enfartar.
    No sabado assisti uma entrevista do Eriberto Leão na Xuxa. Ele disse uma frase que virou meu amoleto. Ja esta na porta da minha geladeira.
    "Boxeador bom, não é o que bate melhor.
    É o que aprende a receber a PORRADA melhor".

    Estou aprendendo.

    Bjs,

    ResponderExcluir
  29. Ola marcia , ontem dia 21/06/11 que asssistindo o Jô que soube que vc passou , e fiquei sabendo de sua enfermidade . e vc disse uma coisa que concordo quando estamos passando por cancer parecemos mesmo com ETs , e imprecionante o quantas as pessoas com problemas parecidos ou piores que os nossa vao surguindo , e vamos formando um convivo ,podemos dizer assim e eu tive cancer a há 12 anos atras na tireoide , estava separada , sou um humilde cabelereira, com 2 filhas , sem maoradia , tive de voltar para casa dos meus pais , pois sem eles nao saberia o que fazer, e um ex marido idota, mas quando estava cirurgiada , eu encarei de peito aberto , e muito confiante, pois e ja tinha tido muitas perdas em minha vida desde dos 21anos, as duas gestaçoes forao desenganadas enfim , o que me move e realmente a minha fe e teimosia.. kkk pois eu tenho ainda muitas coisas para ralizar , e disse a deus que desejo profundamente viver tudo o que me é de direito. quero casar , ser amada . etc... mas tem uma coisa que seja resquicio da epoca que eu estive enferma era escutar das pessoas a seguintes frase : " A COITA , QUE DÓ , NOSSA VC ESTA VIVA???""
    KKKK EU sANDRA NAO ACEITO SENTIR DO DE NINGUE , POIS ACREDITO QUE SEJA UM DOS PIORES SENTIMENTOS QUE PIEDADE..BOM TB TENHO BLOG SO QUEE DE BELEZA " MARIASSTUDIOHAIRARAXAMG.BLOGSPOT ASSIM QUE PUDER SIGA-ME. MAS QUE TENHO A TE DIZER QUE FIQUEI IMENSAMENTE SATISFEITA EM SABER QUE ESTA SE SAIDO BEM , POIS E BESTEIRA CRIAR UMA CÚPULA SOBRE O ASSUNTO , EXISTE PESSOAS QUE REALMENTE MORREM POR SE ENTREGAR AO DISPERO , QUE E ESCUTAR VOCE TEM CANCER , EU ACREDITO O QUE ME CUROU FORAM ALGUNS FAOTERES LOGICO QUE A CIENCIA FOI FUNDAMENTAL, PEGUIE DO INICIO , TUDO DO PRINCIPIO TEM REVERSÃO, E OUTRA FOI MINHAS FILHAS , E VIVER UM AMOR O QUAL SEMPRE SONHEI, TER A MINHA CASA , MINHA HISTORIA E LOUCA , HOJE CONHEÇI MEU MARIDO VIA NET , ESTAMOS HÁ 3 ANOS JUNTOS, FINACIAMOS NOSSA CASINHA , EMFIM SE NAO ACREDITASSE E LUTASSE POR TUDO ISSO , O QUE EU SERIA ???
    MARCIA , VC E UMA PESSOA MUITO ESPECIAL , SEGUNDO O ESPIRITISMO , ESTAMOS NA NOSSA SEGUNDA CHANCE , REFLITA . BEIJOS SANDRA NOGUEIRA /ARAXA MG , ALIAS TEM QUE VIM PARA CA COM SUAS PEÇAS . BEIJAO DEUS ESTARA SEMPRE TE ILUMINDO.

    ResponderExcluir
  30. Oi Márcia,

    Não conhecia seu Blog, fiquei sabendo quando você falou sobre ele no programa do Jô. Adorei acabei de lê-lo completamente rsrsrs. Que bom que você superou o Câncer.
    Estarei orando por você sempre!

    ResponderExcluir
  31. Oi Marcia, nem sei se vc vai ler o meu comentário, mais mesmo assim vou escrever.. eu tbm descobri uma doença muito grave ano passado, na mesma época que vc descobriu seu Câncer, eu descobri que tinha ANEMIA APLASTICA SEVÉRA, uma doença onde a Medula Óssea para de funcionar, e eu descobri o seu blog ontem a noite pelo programa do Jô, e eu estava lendo o seu blog, e sei como vc se sentiu, pq tbm passei por quimioterapia onde fiquei CARECA(e o meu cabelo era muito comprido) foi muito dificil de passar por isso, as injeções, aquelas roupas do hospital ( eu fiquei internada 30 dias ) ainda mais que eu tive que ficar 5 meses morando praticamento do lado do hospital, eu moro em Santa Catarina (Grande Florianópolis), e fiquei 5 meses em Curitiba no hospital de Clínicas, onde ocorreu o MEU TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA que tive que fazer, não tinha nenhuma outra OPÇÃO de tratamento para a minha doença... já vai se fazer um ano que fiz o transplante dia 12 de Julho, e as restrinções são muitas ainda, muito cuidado com a comida, não se pode chegar perto de criança, pois quando se faz o transplante se perde todas as vacinas já tomadas (tô igual a um BEBÊ) vou ter que tomar todas as vacinas de novo, e isso quando fizer um ano de Transplante, também não posso pegar sol durante 2 anos pós o Transplante, e até em dias nublados tenho que andadr de sombrinha ( muita gente ri de mim quando ando pela rua de sombrinha e máscara, isso me chateia muito, não sei lidar com isso, pq até então não saiu mais de casa, a não ser quando muitoooo Necessário), tive que parar meus estudos, estou completamente isolada dentro de casa...
    Não vejo a hora de voltar a minha vida normal!!
    a fazer coisas que antes pra mim eram insignificantes,
    a gente passa a dar bem mais valor a vida néh!!

    então, isso que postei foi só um pequeno resumo das dificuldades que passei, são muito mais coisas ( a gente passa por cada coisa heim Marcia!?!) eu descobri aquela maldita doença quando tinha 17 anos, agora tenho 18, com muitaaaa vontade de viver

    "E DESISTIR JAMAIS"

    li o seu blog todo, E JÁ TI AMO MUITOOO..

    PARABÉNS PRA NÓS, POR SERMOS VENCEDORAS

    ResponderExcluir
  32. Queria te dar um pirulito e uma mensagem, mas já escrevi um texto 2 vezes e deu erro. Na próxima escrevo a mensagem e o pirulito um dia te entrego quando for assistir sua peça no Leblon.rs
    beijos

    Anne

    ResponderExcluir
  33. Oi, Marcinha!
    Tudo bem?

    Adorei o seu blog!
    E esse seu texto para o jornal ficou maravilhoso!
    Valeu ter postado aqui no seu blog também! ^^

    Estou te seguindo! ;)

    Beijos,
    Renatinha Araújo.
    www.glamourfeminino.blogspot.com
    Twitter: @Blog_GF

    ResponderExcluir
  34. Ontem a Vi no Jô Soares e achei você além de uma linda mulher ,sorriso singular,frases seguras e até mesmo engraçadas.
    Dei muita risada ao ver seu jeito de brincar falar sobre a esperiência com a "TABA" ,RS .
    Mas depois vi que o assunto começou a ficar sério.
    E me identifiquei muito ,des da minha primeira mentruação aos 12 ,hoje tenho 21 ,tinha probleminhas ginecológicos .
    Cisto no ovário,hemorrágias em minhas menstruações.
    E hoje com 20 anos apareceu um cisto do tamanho de um limão,estou desesperada pq me pediram um exame chamado CA 125 e como pulo de médico e médico e ninguém sabe o que tenho direito estou morrendo de medo de ser câncer tb .
    Mas vi a sua história e me emocionei muito ,porque só quem tá passando compreende por completo ,tb acho que as pessoas que tb não estão passando entendem também que câncer não é doença adquirida pela vontade .
    E que você não pode se apegar em comentários fúteis nessa hora.
    Cada momento nos dá a ação de aproveitar como devido.
    Chorar mesmo com o cabelo caído,sombrancelia ,cílios e tudo mais porque agente sofre e não está do lado de fora como muitos.
    E eu sinto medo ,medo mesmo e se for positivo o resultado vou levar sua experiência para o tratamento e vou ver se de arrumo fé sei lá da onde do cú .
    Mas preciso pelo menos ter um pouco eu tenho uma filha de 2 anos que precisa muito de mim.
    Ninguém faz nada por ela além de mim ,até porque o pai é ausente.
    Um enorme beijo querida,espero que tenha muitos trabalhinhos para ti,pois é uma ótima atriz.


    Jessica Cristina Ramos /Santo André -SP

    ResponderExcluir
  35. Oi Marcia, assisti ontem a sua entrevista no programa do Jô e adorei tudo que você disse.
    Estudamos juntas no São Vicente e também participei daquela peça do Patinho Feio. Achei o máximo você ter lembrado da peça, apesar de não ser atriz aquela peça me marcou muito e até hoje lembro da minha unica fala. Eu fui a galinha (também queria ser o Patinho) e dizia assim: - Seu Peru, Dona Marreca, venham todos, venham ver os filhos de Dona Pata que acabaram de nascer. Você se lembra?
    Me marcou fundo, mas hoje sou comerciante. Tenho treis filhas lindas e minha saúde por enquanto está legal. Mas também acho um saco este papo da força do pensamento positivo e já até pensei em escrever um livro falando sobre a força do pensamento negativo. Isto por que meu pai é muito doente, ele já operou mais de oito vezes e sempre que vai entrar na cirurgia ele se despede de nós dizendo que vai morrer e sempre sai bem. Daí descobri que o pensamento negativo não mata.
    Me chamo Ana Beatriz e adorei te ver tão bem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. Olá Márcia, vi sua entrevista no Jo e achei o máximo, antes de começar a entrevista, ao te ver de cabelos curtos comentei com o meu marido que vc ficou linda de cabelos curtos, nem imaginava que tinha passado por tudo isso, nao perdiamos um capitulo do Sai de Baixo e achamos uma pena ter acabado, vc era perfeita no elenco. Em outubro do ano passado descobri que tinha aplasia de medula óssea e assim como vc passei por momentos horríveis no hospital, 2 vezes passagem de catéter, quimio, vomitos e blábláblá....Muito bom seu blog, já li quase tudo e admiro ainda mais vc pelo realismo e naturalidade com que expoe as experiencias que passamos, percebi que mesmo se tratando de doenças diferentes os sentimentos e sensaçoes sao os mesmos, eh incrivel como pensamos que nunca seremos mais pessoas normais enquanto passamos tantas dificuldades no hospital, mas que bom que podemos compartilhar também nossas vitórias, sofremos, lutamos, tropeçamos, choramos, vomitamos, mas com garra superamos!. Parabéns vc eh mais um grande exemplo que podemos dar a volta por cima.
    bjs
    Pam

    ResponderExcluir
  38. Então, adorei a sua crônica. Fui diagnosticada com cancer de mama há um mês. Sinto-me debaixo do tapete. Ou melhor, sinto-me uma garotinha que vai à escola pela primeira vez. Sim, porque antes eu sabia o que eu queria, o que me fazia rir e me animava. Agora, sei apenas o que ouço: "Fique positiva pois os pensamentos são tudo" "Controle seu medo e ame seu corpo, pois o medo é inimigo da vitória" E outras coisas mais, tipo: "Não deseje a cura, pois o cancer é um carma e você vai passar por ele sem milagres." Enfim... Gostaria mesmo era de ouvir explicações sobre como amar o corpo, pois sempre o amei (aliás, sempre fui convicta de meu amor próprio) será que amei diferente do amor que garante a saúde? Quero manter pensamentos positivos, mas não do nível ritual zen e sim algo mais a minha cara como: "Olha aqui seu cancer, vá para o inferno pois você entrou na minha vida num momento que eu ainda tenho muito que experimentar, portanto caia fora, entendeu?! Mas, se disser isso, talvez Deus não agrade e me arrebente mais ainda... Pode crer que essa dúvida pinta na minha cabeça. Estou assim, entre a menina certinha que eu nunca fui e a literatura zen diz que eu tenho que ser, e a menina ligth que sempre fui, levando os problemas na flauta (essa personagem se parece mais comigo, mas quando a encarno as pessoas me olham como seu eu estivesse doida, "desequilibrio da doença". Oras,não fiz a cirurgia ainda, e estou me mordendo de medo, e tirar o medo como me dizem é algo que eu tento todos os dias, mas na hora, horinha de entrar no consultório medico me dá crises de banheiro. Fazer o que?!

    ResponderExcluir
  39. Preciso do conato para contratar show da Marcia Cabrita. Alguem pode m passar por favor. Obrigada. tainah@wedo.com.br

    ResponderExcluir
  40. Olá iluminada Márcia,

    Em primeiro lugar, muita Luz pra vc!
    É muito gratificante poder ler todos os seus relatos aqui, isso me ajuda muito, fazendo-me refletir sobre tudo...
    Estou passando por esse mesmo 'obstáculo', de uma simples tosse descobri que estava com câncer no pulmão direito. Nunca fumei, nem convivo com fumantes. Não existem casos dessa doença em minha família...vc pode imaginar como foi o susto. Tenho 35 anos,uma vida super saudável, etc e tal...
    Agora estou em tratamento de quimioterapia, para em breve fazer a cirurgia.
    Força ai tá ? Nós vamos dá a volta por cima, temos que ser OTIMISTAS, não é mesmo ?
    Abraço apertado!

    ResponderExcluir
  41. Márcia, sei que são muitos comentários, muitas coisas, mas peço que me ajude. Tenho Linfoma e estou com problemas com meu tratamento pelo SUS. Tenho um blog onde fiz um desabafo. Se puder me ajudar a divulgar agradeço muito. http://trespartesdemim.blogspot.com/2011/06/dos-sentimentos.html

    Beijos.

    ResponderExcluir
  42. Olá, Márcia. Estou cursando a disciplina de Psicologia Hospitalar aqui na cidade do Recife. Não sei se você conhece a obra da tanatologista Elisabeth Kübler-Ross... Elisabeth trabalhou por mais de duas décadas com pacientes terminais... Ela é pioneira nos estudos psicológicos sobre a morte e sobre o morrer. Percy Wooten, presidente da Associação Médica dos Estados Unidos, afirma que “[Elisabeth] Kübler-Ross foi uma verdadeira pioneira que despertou a consciência da comunidade médica e do público em geral sobre a importância dos assuntos que cercam a morte, o processo de morrer e o processo de luto”.

    Além disso, Kübler-Ross foi pioneira na busca da compreensão psicológica dos processos do morrer... O primeiro dos períodos identificados por Kübler-Ross no processo de morte é a negação, quando o paciente se recusa a aceitar que tem uma condição fatal. Depois se seguem a raiva, a barganha, a depressão e a aceitação de que a morte por vezes é inevitável...

    Os períodos, segundo Kübler-Ross, não se sucedem de forma ordenada e excludente, mas podem se misturar, em particular durante a barganha, quando o sujeito pensa que, caso se submeta a um determinado tratamento, ou se fizer dieta ou exercício, talvez possa reverter sua condição, por vezes irreversível.

    Deixou uma série de obras sobre a psicologia da morte, cuidados paliativos, vida após a morte, e estudos fenomenológicos de casos de pacientes terminais. Concluiu 18 doutorados em sua área, bem como se destacou por sua sensibilidade e seu humanismo no trato com doentes moribundos.

    Penso que suas postagens seriam muito mais ricas se você buscasse inspiração nas obras dessa grande mulher que, antes de tudo, representou na Terra um dos maiores exemplos de dignidade, sensibilidade e compaixão.

    A intervenção com pacientes terminais envolve fatores essenciais, tais como tratá-los com absoluta dignidade, enxergar o que neles pode ser desenvolvido, suas habilidades intrínsecas; exige, ainda, a capacidade de enxergar através dos seus olhos, ouvir e escutar as suas dores, bem como respeitar suas fantasias, conviver com seus dilemas e suas fugas, sem condená-los por “ausência de coragem”.

    Há indivíduos que, no processo do morrer, investem em potenciais até então pouco contemplados em períodos pregressos de suas vidas, seja por falta de algum estímulo exterior, seja por escolha individual. Kübler-Ross define que “existem dons e talentos que simplesmente desabrocham” em pacientes graves, talvez porque desenvolvam uma grande sensibilidade, em virtude do comprometimento físico, o que os levaria a uma intensa atividade intelectual, reflexiva, emotiva, marcada pela compreensão de sua finitude corporal e funcionando como uma rota para a imortalidade simbólica, uma vez que seus registros (escritos, pinturas, esculturas, etc.), permanecerão entre os vivos após a morte. Tais talentos devem ser desenvolvidos a partir da concepção (nem sempre assumida de maneira consciente) de que algumas de suas produções continuarão existindo depois de sua morte, o que poderia ser entendido pela vontade de que alguém se lembrasse deles. A raiva é uma das etapas possíveis no processo do morrer, e deve ser respeitada/compreendida sem restrições. A raiva, quando acumulada e não liberada, pode ser a causa de inúmeros conflitos e geradora de grandes crises. Além disso, a raiva pode ser intercalada com a depressão e com a barganha com Deus, com a família, com os enfermeiros ou com os médicos. Mas, é importante compreender que o paciente deve ser respeitado na inteireza de sua dignidade, e jamais violentado em suas crenças, por mais fantasiosas que sejam ou que pareçam ser.

    Atenciosamente, subscrevo-me,
    Rodrigo Luz de Araújo
    digoluz@terra.com.br

    ResponderExcluir
  43. Segue um pequeno trecho da obra de Elisabeth Kübler-Ross:

    “Tem sido o trabalho de nossa vida ajudar os pacientes a encarar uma doença terminal, não como uma força destruidora, negativa, mas como um dos vendavais da vida, que estimula o seu crescimento interior e os ajuda a ressurgir com a beleza dos desfiladeiros, que são fustigados há séculos. [...] O nosso papel na luta dessas pessoas foi simplesmente o de um catalisador, compartilhando um momento, uma lágrima quem sabe, uma esperança e, acima de tudo, mostrando disposição para escutar. Cada um ao seu modo, pessoal e íntimo, coreografou a própria morte; todos estavam convencidos da sua própria morte e do seu destino final e fizeram o que lhes foi possível para manter um estilo pessoal, coerente com a própria personalidade.” [KÜBLER-ROSS, Elisabeth. Viver até dizer adeus. Introdução. Ed. Pensamento. São Paulo: 2005.]

    Atenciosamente, subscrevo-me,
    Rodrigo Luz de Araújo
    digoluz@terra.com.br

    ResponderExcluir
  44. Menina, ri muito!!! Li todo o blog e fiquei super bem. Mesmo com todos a nossa volta, nos sentimos sozinhos, pois fazer parte "dos outros", é solitário, muitas vezes não nos permitimos viver tudo, todo o lodo que é na realidade esta doença, por ter muita gente esperando nossa coragem, nossa esperança
    (principalemnte nossas pequenas, a minha tem 03anos), nosso tudo... As vezes fica bem pesado. Mas a guerra é feita disso, de lutas e no nosso caso de vitórias. Muita sorte para ti, que tua cura seja muito longa e que eu que estou no início da minha, consiga seguir firme até o fim. Vou para segunda cirurgia, faço a rádio, vou esquiar para carregar as baterias e volto para quimio. Obrigada pelo blog, pela inteligência e solidariedade! Um beijo, outra, Vivi Mengarda kkkk!!!!

    ResponderExcluir
  45. Olá! Meu nome é Carol e trabalho na Editora BesouroBox de Porto Alegre/RS. entro em contato pois estamos lançando o livro "Sala de Espera" de Maria Helena dos Santos e gostaríamos de divulga-lo vou deixar aqui meu email para conversarmos melhor carol@besourobox.com.br
    Desde já agradeço a compreensão.
    Abraços

    ResponderExcluir
  46. Só quero dizer que vc está de parabéns como sempre esteve!
    E que esse blog está sendo MUITOOOO ÚTIL e uma ENORME fonte de ajuda e forrrça!
    Bjo Grande!
    Flavinho

    ResponderExcluir
  47. Márcia,

    Tb tenho um blog onde dou "LInha na Pipa" pra tudo o que tenho vontade. Há 10 dias fiz uma cirurgia pra tirar um tumor cancerígeno e mais alguns órgãos. Escrevi sobre isso e indiquei o seu blog pra quem quiser aprender um pouco sobre o assunto, pq até eu ainda to aprendendo a lidar. Se vc (e quem mais) tiver disposição, gostaria que lesse meus textos (não só sobre isso): www.daniricci.blogspot.com.

    É isso. Um beijo carinhoso!

    ResponderExcluir
  48. Márcia, que delícia de texto que vc escreve. Que blog legal! Passei por tudo isso em 2005, quando tinha apenas 25 anos de idade e tive câncer de ovário. Fiz duas cirurgias, quimioterapia e tudo o que vem em seguida... Pesquisava muito na época, revirava o google, lia tudo, participava de comunidades e me derretia em prantos ouvindo a música do Guilherme Arantes "...eu que tinha tudo hoje estou mudo, estou mudado... daria tudo por meu mundo e nada mais..." Pena na época não haver um blog tão legal quanto o seu. Parabéns por estar na remissão logo chega a redenção kk... Me sinto forte e vitoriosa, uma mulher melhor depois de superar tudo. Deus abençoe a todas.

    ResponderExcluir
  49. oi marcia, parabens pelo blog!
    acredito que abordar o cancer aos olhos do paciente é tão ou mais importante que a abordagem que os médicos dão à doença

    adoraria que voce pudesse dar uma olhada no meu, o www.falandosobreoncologia.wordpress.com

    abraços!

    ResponderExcluir
  50. AMEI AMEI AMEI!!
    Você escreve muito bem, parece que a gente tá num barzinho e você está me contando um pouquinho da sua vida! hehe!
    Á mais ou menos um mês atrás, perdi uma amiga que acabara de completar 19 anos pra leucemia... Doeu muito, muito mesmo :( Éramos amiga de infância e tínhamos muitas histórias pra viver ainda.. Porém, a doença (que até então estava controlada durante um ano) ressurgiu com tudo e levou-a de mim. Até hoje a ficha ainda não caiu de verdade; a sensação que eu tenho é a de que vou ligar na casa dela e ela vai me contar como está ansiosa pra entrar na tão sonhada faculdade de nutrição.. Mas enfim, ainda bem que te achei. Me conforta ler seus pensamentos, não sei por quê, mas me faz muito bem!

    Sua entrevista na Maria Gabriela que passou há um tempo atrás estava SENSACIONAL, e eu amei te ver sorrir e conseguir lidar com essa doença tão maldita com humor!

    E... VIVA A REMISSÃO, UHULLLLL!! o/

    ResponderExcluir
  51. Apesar de tudo, lindo texto. Me fez chorar e rir, pensar na vida...

    "Vem cá, só eu que não moro na Disney?"

    o/ Grande abraço!

    ResponderExcluir
  52. Vcs acham que é brincadeira quando eu digo que essa mulher é I-N-C-R-I-V-E-L.
    Mais não é, ela é tuuudo e mais um pouco!
    bjs, amo-te

    ResponderExcluir
  53. Oi,adorei ler seu blog,algumas partes me emocionei,outras morri d rir.Estou com problemas,no ovario estou fazendo exames,o problema q moro em Londres e aqui a medicina nao e aquelas coisas,vce entende.Parabens pelo seu blog,e pela cura,t desejo tudo d bom,mil bjossss.

    ResponderExcluir
  54. ri e chorei ao ler seu depoimento, uma lição de vida parabéns vc é uma pessoa forte e ao mesmo tempo sensivel!

    bjus em seu coração!

    ResponderExcluir
  55. Achei um forum bem interessante sobre saude, e nele tem uma area so para assuntos voltados ao cancer.
    Muito bom, curti bastante, um lugar bom p/ fazer perguntas e dar respostas para pessoas com cancer.
    o nome do site eh eu paciente ( eupaciente )

    o link sobre cancer eh

    http://eupaciente.com/viewforum.php?f=21
    http://eupaciente.com

    ResponderExcluir
  56. Olá Marcia!
    Adoro como conversa sobre o assunto. Cancer doi mesmo, doi na alma, ativa medos inimagináveis, sabemos que vamos morrer mas acreditamos que será daqui no mínimo100 anos, a medicina ta dizendo quevai levar a gente até os 150, e sem avisar vem a notícia que a gente pode morrer antes, pior, meio já. Mas a gente nãove a doença, ve os efeitos da quimioterapia que é todoo desconforto e aperda de todos os pelos, principalmente dos cabelos, aí obicho pega. Aí entra os amigos, familia, amores e muita força de vontade pq além de sentir a gente esta vendo o tamanho da coisa. Aí entra também palavras como as tuas. Peruca também ajuda muito, e principalmente você que tem cabelos linnddddooosss, corte antes da quimioterapia e guards para usardepois para fazer mega hair ou então fazer uma peruca com seu próprio cabelo.

    Dúvidas, pergunta, informações:
    www.magmahair.com
    Magma Studio de Mega Hair, Distrubuidoradecabelos e Perucas
    48.3209.4213

    Parabéns Marcia e obrigada por seu carinho.

    ResponderExcluir
  57. oi marcia! feliz 2012 pra você.
    te encontrei uma vez no celeiro e eu estava com uma liiiinda peruca! já terminei a quimio e a radio e agora estou curtindo meus cabelos curtos. fui assistir subversoes no meio do meu tratamento, foi tudo de bom. beijo grande!

    ResponderExcluir
  58. olá Marcia nem sei se vc ainda esta escrevendo, mas achei muito importante a maneira que vc trata todas as etapas dessa maldita doença que descobri te-la há pouco mais de um mes. tenho 2 filhas pequenas, 9 e 5 anos e só quem sente na pele entende com perfeição suas palavras...ainda nao tive coragem de contar para elas. Não sei como fazer! minha mãe tbm não sabe. ao ler seus posts me deu um pouco de coragem... mas só um pouquinho!!! espero encontrar em mim uma mulher forte e guerreira escondida em algum lugar esperando a hora certa se aparecer.

    ResponderExcluir
  59. Bom dia, Márcia. Na manhã de ontem perdi meu pai para o câncer. Mas seu blog e sua forma de enxergar esta doença nos fez encarar a situação de uma forma mais sincera. Meu pai, al como você, encontrava espaço para brincar e achar graça da própria situação, sem esconder a gravidade do problema, a preocupação e a tristeza que ela gera. Tivemos apoio de muitas pessoas, de todos os niveis sociais e religiões. De novenas a oléo de Israel, de mantras budistas a hinos evangélicos. Não se pode mesmo creditar na pessoa a culpa pela doença nem a morte por sua fraqueza frente a luta. Sua cabeça sempre esteve acima, aceitando tranquilamente o tratamento e vislumbrando planos após a melhora. Pacientemente tomou todos os remedios que lhe receitaram, chás e banhos. Deus se manifestou em sua vida ao não sofrer o quanto poderia ter sofrido pela gravidade da doença. Era visivel e notorio inclusive entre os tantos médicos. Somos gratos a Deus, a todos que nos apoiaram e a você, Márcia, por suas palavras fortes e encorajadoras. Meu muito obrigado em nome da minha familia. Giuliano

    ResponderExcluir
  60. Olá, como vai?

    Faço parte da equipe de Fundamento Digital, uma agência de comunicação focada em mídias digitais e que está fazendo um trabalho sem qualquer cobrança, para a ABRALE – Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia. A partir da próxima terça, dia 7 de fevereiro, a ABRALE vai fazer uma campanha para arrecadar doações usando mídia de massa como a TV, revista e internet, e na qual contaremos com o apoio e o testemunhal do ator Reynaldo Gianecchini, que também não está cobrando qualquer cachê. Será a primeira vez, em seus 9 anos de história, que a ABRALE realiza uma campanha do gênero.

    Confiamos que o papel da ABRALE como agente da sociedade civil capacitado para fomentar, fiscalizar, estimular e divulgar o que for relevante em termos de política pública e rede de atenção ontológica no Brasil será cada vez mais importante. Para construir uma sede que nos permita a realização de tais atividades e para criar um fundo de investimento que garanta a independência de nossa operação precisamos engajar as pessoas em nossa causa.

    Optamos por uma comunicação positiva, que fale sobre a solidariedade e o quanto isso faz a diferença na vida e na luta das pessoas. Uma campanha que procura mostrar uma verdade: a força com que as pessoas enfrentam esse desafio, sem negá-lo, mas também sem se resignar a ele. Queremos que as pessoas conheçam a ABRALE através de uma mensagem ao mesmo tempo simples e
    poderosa: a de que toda a ajuda conta. Afinal, essa luta é de todos e a solidariedade é uma condição natural do ser humano.

    Queremos muito contar com o apoio do seu blog nesta iniciativa – estamos desenvolvendo uma espécie de kit de divulgação para blogueiros especiais, como você, que sabem como esta situação é difícil e é importante contar com ajuda em casos como este. Nosso kit terá opções de selos e banners para colocar no blog, além de opções em vídeo e áudio para que você possa sensibilizar seus leitores por esta causa.

    Podemos contar com o seu apoio?
    Se sim, mande um email para lbocalon@fundamento.com.br para enviar os kits!

    Um grande abraço,
    Larissa

    ResponderExcluir
  61. Olá Márcia, antes de qualquer coisa, parabéns pelo blog e por desconstruir mitos, é preciso muita sensibilidade para fazer isso. Nos últimos anos, o câncer tem figurado como uma das enfermidades mais freqüentes em todo o mundo. Sabemos que suas causas são variadas e os efeitos do tratamento podem ser devastadores. Porém, com o avanço da medicina - como você já disse em um dos posts - e de terapias alternativas, associada a um ambiente social e familiar estável, a chance de recuperação aumenta sobremaneira. Por isso, estou, junto a um grupo de mais quatro pessoas, fazendo o projeto de uma revista direcionada a pessoas que receberam o diagnóstico de câncer.
    A revista terá como princípio editorial a ideia de que é possível viver bem antes, durante e depois do tratamento. A abordagem será feita através de entrevistas in loco (ao vivo), por telefone e e-mail. Temos profundo interesse em realizar uma entrevista com a senhora, da maneira que for mais conveniente. Caso haja interesse, por gentileza, informe-nos no e-mail rebeca.carvalho@brasiliaemdia.com.br ou rebeca.carvalho@gmail.com.
    Queremos agendar uma entrevista que, certamente, trará um novo fôlego, um respirar a pessoas que podem compartilhar desse sentimento que você relatou. Agradecemos a atenção!

    Um grande abraço,
    Rebeca Oliveira.

    ResponderExcluir
  62. Muito lindo, Márcia! Arrebentou! Parabéns. Sincero e bem escrito, tudo!

    ResponderExcluir
  63. Oie querida, nossa sou super sua fã e depois do perrengue que passei ainda te amo mais, então assim como vc eu tbm fui diagnosticada com câncer porém de mama e com vc aprendi mta coisa sobre o assunto, vc é demais me fortaleceu mesmo sem saber no momento que mais precisei, um super-mega-ultra-power beijo sua linda, ahhh se quiser visitar meu blog onde tbm conto a minha historia é http://www.daya-sejafelizenquantoatempo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  64. Márcia, Como vai! tudo tranquilo?...
    Bem, Hoje peguei uma jornal informativo no Icesp ( Instituto do cancêr SP ) e lí tua matéria, Confesso que Adorei!!!!...Os percalços que os cânceres causam eu costumo dizer que são, nem tanto no começo e nem no meio...mas sim durante todo o processo e principalmente no final dos tratamentos...O que gostei de ler em você foi o lado mais bem humorado que cá entre nós, é tudo de bom né???...Estou em remissão a dois anos de um linfoma não hodking esclerose nodular, ( Desculpa mais sou chique e tive o mesmo que o Giane...tá??) ...mas me grau foi o II o que me deixou um pouco mais arriada que ele...e sóóó um pouquinho mais feia que ele também!!!...mas nada que boa maquiagem,...bons acessórios e uma bela pitada de irreverência não tirassem de letra, meu corpo mudou radicalmente fiquei parecendo o ET de varginha,....lisinha, verde e todos queriam ver,outro detalhe é que minhas doze sessões de quimio me engordaram 22 kilos ...peso esse que ganhei logo nos 3 primeiros ciclos,...confesso que essa sim foi a parte uóóó...deixar de ser ET...pra virar a nave do et...lisa e redonda!!! afff...mas bobagem!!!..encarnei a Alcione, e a Sandra de sá...e arrasei nas batonas,....nunca gostei muito dos lenços ( me deixavam com cara de lavadeiras ) claro que nada contra mas preferi adotar uma peruca curta chanel,...bem próxima do meu cabelo real,...que me deixou menos pior,...minha maior terapia, foi mesmo rir...e muito....fiz piada com tudo,...não mudei minha rotina em casa, só dei um basta na profissão,...porque também merecia férias ...poxa!!!...recebia amigos e família em casa e falávamos de tudo que é besteira, ...até das dores dos exames eu ria, porque t'contar viu...tem exames que eu me sentia um prato de degustação em restaurante, todo mundo vinha e tirava uma lasca...aff!!!...mas tuuudo já passou,....Hoje realmente ficou feliz em saber que você assim como eu está em remissão,...e tudo já passou...agora é só alegria!!!...( alegria, de pegar o trânsito lascado de SP,...de pagar as contas,...de cuidar da filha e do marido, do trabalho,...aff!!!...alegria né????....( risos) beijão grande pra você!!!

    ResponderExcluir
  65. Ajude nossa família... minha esposa, 37 anos, recém formada em psicologia, está sem enxergar, sem falar, sem comer nem beber, sem andar, e mesmo assim, está acordada, consciente, ouvindo e entendendo tudo à sua volta. Ela se mexe, mas sem coordenação motora, e por isso, está totalmente dependente. Temos dois filhinhos: um de 5 anos e um de 2 anos e 10 meses, ambos adotados. Ela está em casa, sob home care.

    Ela ficou assim após vencer um câncer (Linfoma), mas desenvolveu uma síndrome rara, associada ao mesmo.

    Samuel Luna.
    gsgluna@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  66. Márcia mulher! Eu tava procurando algum tutorial de moda pra mulheres carecas e dei de cara com o teu texto. Foi melhor do que qualquer tutorial! Enfim uma pessoa que não virou santa e extremamente feliz depois que teve câncer... já tava me achando uma anomalia e não aguentava mais as pessoas me colando entrevista do gianecchine no facebook. Existe quase uma imposição social em se sentir tocada no fundo da alma depois de ficar doente, é como se eu me sentisse obrigada em dizer:"obrigada meu Deus por eu ter câncer!". Não, não, não... não agradeço nenhum minuto por isso, nenhum mesmo! E eu sou como antes, uma pessoa que em alguns momentos está feliz, em outros está triste e quando está em tratamento nem pensa em nada, só vomita!

    ResponderExcluir
  67. Márcia, li seus textos na revista Isto É. Que Deus a dirija em todos os seus caminhos. Desejo tudo de bom. Li seu último texto. Eu também não compreendia que o caminho oferecido por Cristo é a paz. Ele carrega o peso, leva meu pecado, me livra dessa carga toda que insisto em arrastar. Se incute culpa, não foi compreendido. Ele me livra, com tanta delicadeza e bondade. Nada como a arte para expressar esse mistério. Escute essa linda música. Dedico-a a nós: http://www.youtube.com/watch?v=GyYmnzJdkdY&feature=relmfu
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  68. Já faz um bom tempo q esse texto foi publicado, releio-o sempre. Porque ele retrata de forma perfeita a "VIDA" com seus altos e baixos, angústias e alívios. Simplesmente e surpreendente 'VIDA'!!!!

    ResponderExcluir
  69. Linda a sua historia e comovente. Ano passado minha irma descobriu que estava com cancer. Vivemos um ano e pouco de muita luta, 28 sessoes de quimio e algumas cirurgias. Eu acompanhei tudo que vc descreveu nesse post. A obrigacao de ser positiva o tempo todo e essa mania maluca desses atores dizeram que tiraram de letra. Nao, nao tiramos de letra. Eu digo nos pq eu vivi tudo com ela, como carne e unha, mas ela nao conseguiu... Nem com tanta forca de vontade, nem com tanta oracao, nada foi capaz de mante-la ainda entre nos. Meu coracao ainda chora, como minha alma ainda esta despedacada... Essa e a triste realidade da familia de alguem que perdeu a luta contra o cancer...

    Que vc continue dando forca para tantas pessoas que ainda estao nessa batalha.
    Um grande abraco
    Monica

    http://deliciosarotina.blogspot.com.br (esse blog eu fiz em homenagem a minha irma)

    ResponderExcluir
  70. Ei Marcia, estou procurando seus contatos, um e-mail. Gostaria de falar com você sobre uma matéria que estou fazendo sobre culpa materna. Vou continuar procurando seus contatos. Mas se puder, me mande um e-mail?
    beijo

    ResponderExcluir
  71. LINDA, TESOURO.
    EU ADORO VOCE, DESEJO MUITA LUZ PARA A SUA VIDA.
    MIL BEIJOS

    ResponderExcluir
  72. Olá Marcia,
    Minha mãe (e família) sofreu com o câncer de mama em 2011, hoje, estamos aguardando resultados de novos exames, aparentemente passaremos novamente pela situação, enfim, estou escrevendo porque gostaria que vc desse continuidade neste blog que pode ajudar tanta gente.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  73. Oi Márcia, espero que esteja bem. Poque não volta a escrever no blog???

    ResponderExcluir
  74. Convite para o I Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas em Redes Sociais da Saúde.
    Data: 08/06/2013 das 09 às 17 hs em São Paulo/SP
    Inscrições Gratuitas "limitadas" www.blogueirosdasaude.org.br

    Porque Blogs e Fan Pages são coisas sérias!! Venham compartilhar deste momento e juntos aprendermos o melhor caminho para construção de politicas públicas em saúde em nosso país!

    Aguardamos sua inscrição!!
    Nosso e-mail webmaster@blogueirosdasaude.org.br

    ResponderExcluir
  75. Gostei muito do seu Blog. Minha mãe terminou o tratamento para Linfoma Hodking. Fez o Pet Scan essa semana. Estou ansiosa pelo resultado.
    Cada post que li, parecia que estava revivendo situações que ocorreram com ela.
    Por que não transforma os posts em um livro de crônicas? Eu compraria...

    ResponderExcluir
  76. Olá, sou Vanessa participo de um grupo onde eu e mais 5 meninas montamos, as Amigas de lenço, gostaria de lhe dizer que amei seu texto, muito lindo e verdadeiro. vou com certeza compartilhar e continuar acompanhando. Parabénsssss... Vanessa Bona - vanessabona@gmail.com

    ResponderExcluir
  77. ADOREI, FIZ UM BLOG TAMBÉM ENFRENTO ESTA PORCARIA DE DOENÇA! A ÚNICA COISA QUE DESEJO É ESCREVER E LANÇAR MAIS LIVROS... ALÉM DO AMAR AINDA VALE A PENA E O LIVRO O DOCE DESCONHECIDO QUE ESCREVI...

    ResponderExcluir
  78. Olá Marcia, eu sou o Eduardo, tenho 14 anos. Escrevi alguns comentários em seu blog e depois de muito tempo, tenho algumas coisas para te dizer.
    Eu nunca esqueci de você mesmo depois que você parou de escrever aqui, acompanhei todos os seus trabalhos recentes e acompanho os antigos, principalmente o Sai de Baixo, cujo programa é o meu favorito. Quando eu tinha 10 anos eu me apaixonei por você de uma forma que até hoje não consigo explicar e mesmo sabendo que nós provavelmente nunca vamos nem cruzar na rua, mesmo sabendo da diferença de idade e mesmo sabendo que talvez você nem vai ler isso, quero te dizer do fundo do meu coração que eu continuo completamente apaixonado por você.
    Marcia Cabrita, eu amo você!

    ResponderExcluir
  79. MEUS QUERIDOS,
    Quem me conhece sabe da minha experiência jurídica na área de saúde, e nos últimos tempos, tenho visto inúmeras reportagens sobre a cura do câncer através da substância FOSFOETANOLAMINA.
    Meus avós, tios, e outros parentes próximos sofreram e alguns até morreram por esta doença então meu interesse é legítimo.
    Sim, o tratamento é experimental, e por isso, ainda não tem aprovação da Anvisa ou chancela da ANS. Mas os relatos de resultados são tão surpreendentes que tem feito muitos pacientes procurar o medicamento.
    Nos últimos meses, o assunto tem sido pauta de discussões acirradas no Poder Judiciário e, graças a Deus, a decisão mais recente autoriza o uso das cápsulas, caso tenha indicação médica.
    Claro que existem interesses obscuros nessa comercialização e não se pode deixar de cogitar do prejuízo que a indústria farmacêutica terá com o eventual reconhecimento de cura da doença da substância.
    Imaginem. Despesas mensais por pacientes que alcançam mais de R$ 100.000,00 ao mês. POR PACIENTE!!! Tudo indo por água a baixo, pois o valor de mercado da fosfoetanolamina é de R$ 0,10 por capsula.
    O fato é que os pacientes que estão sofrendo não podem deixar de tentar esta alternativa. Claro, isto se o médico que lhe dá assistência não apresentar nenhuma resistência.
    Por isso, e não só por ser advogada militante nesta área, convoco a todos para lutar pela liberação das cápsulas, judicial ou extrajudicialmente.
    Segue o link para assinar a petição!
    Sem preguiça pessoal!!!!

    http://www.peticaopublica.com.br/psign.aspx?pi=BR85788

    **** Para quem precisa de orientação jurídica, meu perfil no facebook é https://www.facebook.com/natpoletto

    ResponderExcluir
  80. Olá, tudo bem?
    Eu tenho uma proposta de negócios a fazer.
    Eu sou proprietário e editor do site www.faq.inf.br. Ele é um site onde eu escrevo sobre vários assuntos, sempre no formato de FAQ - Frequently Asked Questions ou Perguntas Frequentes.
    Ele está indo super bem em português e agora quero lançar a versão em inglês no mesmo formato. Por isso, estou a procura de pessoas que morem nos Estados Unidos, Canadá ou Inglaterra e que escrevam bem em inglês para uma parceria neste projeto.
    Basicamente a ideia é a seguinte: Eu tenho uma lista de categorias e a pessoa poderá escolher uma ou mais categorias em que tenha mais afinidade ou interesse em escrever.
    O site será remunerado por publicidade online e a pessoa ficará com metade da receita referente as FAQs que escrever e eu com a outra metade. Pretendo fechar com várias pessoas e o projeto deverá ser bem grande, beneficiando assim a todos. Em português, já temos aproximadamente 3000 FAQs e pretendo chegar a pelo menos 7000 no final do ano.
    Além das categorias, existe uma série de diretrizes para produzir este tipo de conteúdo visando alcançar o sucesso que neste caso é a maior quantidade possível de visitas. Tudo isso eu vou passar para a pessoa.
    Se você tiver interesse em conversar sobre isso, entre em contato comigo pelo email é: luis@faq.inf.br.
    Muito obrigado e parabéns pelo seu blog.
    Peço, que não publique este comentário, por favor.

    ResponderExcluir
  81. esse post ja vai fazer 5 anos...como o tempo voa...lembro de ler no dia que postou

    ResponderExcluir
  82. Boa tarde Márcia. O Lucelio Gonçalves escreveu que esse post já vai fazer 5 anos. Mas ele continua atual e ajudando muitas pessoas, assim como eu, que me vi em cada linha escrita. Não nos conhecemos, temos historias diferentes e me encontrei no seu texto. Tudo que vc relata de forma deliciosa se parece com o que vivo na atualidade. Eu e muitas outras mulheres. Obrigada por esse blog. Você Marcia me representa. bjo

    ResponderExcluir